Vendas

Traçar metas e objetivos para o sucesso – Descobrindo os seus pontos fortes

Metas e objetivos
201views

Traçar metas e objetivos para o sucesso – Descobrindo os seus pontos fortes

Todos os dias, você acorda cedo para trabalhar para traçar metas e objetivos. Uma rotina um tanto parecida com aquele dia a dia que você tinha quando acordava cedo para ir para a escola. Só que com a carga horária maior.

Nessa época, certamente alguns professores te inspiravam a ser uma pessoa melhor. Afinal, é isso o que acontece quando alguém nos repassa algum conhecimento ou nos incentiva a ser melhor em alguma coisa, como costuma acontecer nos processos de aprendizagem.

Mas é fato que muito do que acontecia no seu ambiente escolar não deve ser levado para a sua vida profissional atual.

Por exemplo, lembra quando você apresentava dificuldade de uma matéria específica e, então, sempre lhe diziam que o esforço nessa disciplina deveria ser maior?

De fato, quando temos dificuldade em algo, é importante aumentar o esforço para superar ela. Mas e se você pegasse toda essa força de vontade e canalizasse para aquilo em que você tem muita afinidade?

Se você for capaz de dedicar toda a sua energia naquelas que são as suas aptidões pessoais, você vai minimizar os seus pontos fracos e elevar os seus pontos fortes. E infelizmente, essa é uma lição que nem sempre aprendemos na escola.

Para saber mais sobre como traçar metas e objetivos para o sucesso, descobrindo os seus pontos fortes de forma a ser uma pessoa e um profissional melhor no futuro, continue lendo esse artigo logo em seguida.

Focar em corrigir pontos fracos te faz esquecer dos seus pontos fortes

Se existe uma verdade praticamente unânime no mercado corporativo, é essa.

Quando você dedica toda a sua energia para equilibrar aquilo em que você não é bom, os seus pontos fortes acabam sendo negligenciados nesse processo.

A maior parte das empresas sabe que cada funcionário é diferente do outro. Afinal, cada pessoa tem as suas próprias potencialidades e, infelizmente, as suas fragilidades. Isso não é uma novidade para o mercado de trabalho já faz muito tempo.

É preciso saber capitalizar as diferenças entre os membros de uma equipe, uma vez que o melhor grupo é aquele que tem diferentes habilidades e competências distintas. Afinal, é essa a ideia de ter uma equipe de pessoas que se completam quando trabalham juntas.

De uma forma constante, nós somos incentivados a corrigir as nossas fraquezas para que então possamos assim melhorar a nossa produtividade. Isso acontece porque muitas empresas trabalham com a ideia do “funcionário perfeito”. Ou seja, a ideia de ter um funcionário que vai dar conta de tudo e de todos sempre que assim for necessário. Mas essa ideia é tão utópica quanto impossível.

Por isso, podemos dizer que muitas organizações são negligentes na hora de fazer o equilíbrio dos pontos fortes e dos pontos fracos dos seus funcionários.

planejando as metas e objetivos

Mas será que é possível mudar essa realidade que se vê atualmente nas empresas?

Sim, fazer isso é possível.

Há um livro “Descubra os seus pontos fortes”, que foi escrito pelos autores Marcus Buckingham e Donald O. Clifton. A dupla de escritores estadunidenses escreveu o livro em 2001, e uma das ideias defendidas é a de que apenas 20% dos funcionários de uma empresa sentem que os seus pontos fortes estão sendo utilizados de fato.

Considerando essa ideia trazida pelos dois autores, temos que os demais 80% dos funcionários estão ocupando o seu tempo mais preocupados com os seus pontos fracos do que com os seus pontos fortes.

Valorize os seus pontos fortes para alcançar as suas metas e objetivos

Na escola, quando você recebia uma nota vermelha, certamente era repreendido por isso. Você podia não ter estudado o suficiente. Não ter se preparado como deveria para fazer a avaliação. Ou talvez não tivesse prestado a devida atenção nas aulas. Ou como também é muito comum de acontecer, você não tinha afinidade com aquela disciplina e estudava por obrigação, por pura burocracia.

Não há problema algum em se esforçar para reverter aquela nota vermelha que você tirou enquanto ainda estudava nos ensinos fundamental e médio.

O problema está em prosseguir com esse comportamento na vida adulta, acreditando que você deve canalizar as suas forças para ser bom em tudo aquilo em que você é ruim ou mediano.

Essa, de fato, não é uma boa decisão.

Mas infelizmente, muitas empresas são construídas com base nesse ideal de que se algum funcionário não é bom em algo, é exatamente nessa falta de habilidade que ele deve se concentrar.

As empresas que fazem isso se baseiam em duas inverdades.

A primeira inverdade é quando algo diz que você pode ser bom em todo tipo de atividade. Basta se esforçar para isso. Não, isso não é verdade. Há habilidades específicas em que você pode se esforçar bastante, e ainda assim vai ter um desempenho médio. E isso não vai ser culpa sua. É apenas uma questão de aptidão para uma coisa ou outra.

Afinal, se todas as pessoas fossem boas em todas as coisas, não haveria talentos específicos no mundo, já que nesse caso, todos poderiam fazer tudo, tendo apenas o esforço contínuo como referência.

E a segunda inverdade é que a empresa consegue crescer quando “conserta” todos os pontos fracos dos seus funcionários. Outra mentira.

O que a empresa deve fazer é colocar cada funcionário no lugar certo, na hora certa, para a atividade certa. De nada adianta ficar insistindo que a equipe treine habilidades com as quais ela não se identifica.

Metas e objetivos

Traçar metas e objetivos sem medo de aumentar o seu potencial

Para aumentar o seu potencial, você vai precisar descobrir quais são os seus pontos fortes e elevá-los ao máximo.

Isso também implica em você não se contentar com o nível que já atingiu nas habilidades que você já tem.

Por exemplo, se você tem habilidades para aprender novos idiomas, porque falar apenas o seu idioma materno? Ou porque só falar português e inglês? Há tantos idiomas no mundo para serem explorados.

Outro exemplo, se você tem facilidade para aprender a manusear softwares de computador, porque usar apenas o Photoshop ou o Excel? Conheça novos programas e explore opções dentro dos programas que você já usa.

Se você tomar esse tipo de atitude, as pessoas te reconhecerão de longe pelos seus pontos fortes. E isso minimizará automaticamente o impacto dos seus pontos fracos. Por fim, temos que ser o melhor naquilo que você já sabe fazer bem é melhor do que ser mediano em várias coisas e não ter um grande potencial em nenhuma delas. Por isso, traçar metas e objetivos para o sucesso exige esse tipo de mentalidade.

 

3 Comments

Leave a Response