marketing digital

7 erros que você não pode mais cometer na utilização do linkedin

linkedin
531views

Você não pode mais se dar ao luxo de cometer erros simples no Linkedin, principalmente se deseja ter uma melhor resposta no seu processo de recolocação profissional. Esta rede social específica para o desenvolvimento de seus contatos profissionais expandiu e hoje apresenta uma enorme quantidade de recursos para facilitar a conquista de um emprego.

No início de 2018 já foi confirmado que mais de 45 milhões brasileiros estavam cadastrados na rede social e esse numero aumenta a cada dia. Em todo o mundo são mais 500 milhões de usuários. E uma vitrine deste tamanho não pode ser desconsiderada para vender sua imagem profissional.

Este post não é um manual de como você tirar 100% de proveito da ferramenta, mas apenas para você deixar de utilizar a ferramenta de forma básica e tirar maior proveito com algumas mudanças simples. É importante lembrar que seu perfil é uma propaganda. E se não for capaz de vender seu perfil profissional adequadamente você estará apenas perdendo tempo.

Porém, não se preocupe. Melhorar seu marketing pessoal no LinkedIn não é tão complicado. Com pequenas mudanças você pode ter ótimas respostas. Veja os erros clássicos que você deve fugir em seu perfil:

1- Não ter uma foto profissional

Um perfil com foto no LinkedIn aumenta a visibilidade do seu perfil em 14%. Além disso, uma foto adequada pode minimizar muito as possíveis más interpretações que um recrutador ou gerente pode ter sobre seu perfil (estas análises são feitas por qualquer pessoa e geralmente estão corretas, conforme descrito no livro: O corpo fala nos negócios).

Por isso, utilize uma foto com um fundo neutro, sem referência a pessoas ou lugares, e que te destaque. Utilize um roupa profissional. Sua foto deve apresentar seu rosto e a parte superior do seu tronco além de ter uma boa resolução e iluminação.

2- Ter longas descrições de suas experiências

Ao descrever seu resumo ou suas experiências profissionais liste as informações mais relevantes, ou seja, uma lista de 4 a 6 tópicos com suas principais atribuições. Evite escrever detalhes dos projetos que atuou e que não façam diferença para o recrutador entender quais são suas habilidades.

Aproveite para incluir na descrição de seu perfil palavras-chave relacionadas a sua área de atuação. Para saber quais são estas palavras-chave, analise alguns anúncios de vaga de acordo com suas posição. Anúncios de vagas são objetivos e geralmente são construídos com base nas palavras mais relevantes para aquele cargo.

3- Não informar seus resultados

Descrever apenas suas responsabilidades não é o suficiente. Principalmente se você já tiver uns 5 anos de experiência profissional, você já deve ter contribuído de forma relevante para a empresa que atua. Se não, revise o que você está fazendo em seu trabalho ou que tipo de autonomia sua liderança está te oferecendo.

Visto isso, liste abaixo de suas experiências profissionais os resultados que gerou. Estes resultados devem conter números que comprovem sua contribuição, como por exemplo: “Redução de 20% dos custos operacionais após reavaliação do processo produtivo de bens de consumo.” ou “Aumento na carteira de clientes em 8%, gerando faturamento extra de R$500 mil no ano fiscal.”

linkedin

4- Não listar adequadamente suas competências

O LinkedIn possui uma seção exclusiva para você listar e adicionar suas competências. Os motores de busca do LinkedIn estão fortemente direcionados a procurar suas competências para indicar potenciais vagas de emprego para você. Portanto, inclua uma lista de competências que realmente lhe define profissionalmente.

Para não errar, aconselho a inclusão de competências no idioma do país que busca recolocação. Portanto, se você procura uma vaga no Brasil, esqueça a utilização de competências em inglês.

5- Não preencher trabalhos voluntários, projetos, publicações e reconhecimentos

Em um currículo estas informações nem sempre são relevantes. Mas para no LinkedIn elas sempre são. Tanto que existem sessões específicas para inclusão e detalhamento de cada diferente experiência que teve em sua vida pessoal e profissional. Trabalhos voluntários podem estar mais associados a sua vida pessoal mas podem demonstrar importantes valores que possui e facilitar a análise do recrutador.

Publicações podem transmitir importantes competências de seu perfil mesmo que possam ter ocorrido em sua vida acadêmica. Já os projetos podem descrever com mais detalhes algumas experiências profissionais importantes e sua capacidade de interação e trabalho em equipe em situações mais complexas. E os reconhecimentos fortalecem e comprovam suas competências e habilidades.

6- Não definir um link personalizado

Perceba que o link para o seu perfil possui uma expressão depois de “https://www.linkedin.com/in/”. E esta expressão geralmente é formada pelo seu nome, alguns números e símbolos aleatórios. E você pode substituir esta expressão para que fique mais fácil de você compartilhar este link nas redes sociais, utilizar em cartões de visita e de ser lembrado pelas outras pessoas.

Para isso, basta acessar seu perfil, e no cato superior direito, clicar no botão: “Editar perfil público e URL”. Em seguida, editar seu link, na seção “Editar URL”, também no canto superior direito. Caso o nome que tentar incluir já esteja em uso o LinkedIn lhe informará e você poderá escolher outro.

7- Conecte-se com os profissionais certos

Para ter melhores respostas no LinkedIn conecte-se com os profissionais que tenham uma relação com sua experiência profissional. Conecte-se com pessoas que trabalham na mesma área de atuação, empresa ou que possuam experiências profissionais parecidas.

Conectar-se com pessoas aleatórias pode fazer seu número de conexões subir, mas isso não te trará nenhum retorno. E o pior, sua timeline será tomada por postagens irrelevantes para seu objetivo.

 

E sua página no LinkedIn, como está? Você tem dedicado tempo para vender sua imagem profissional adequadamente? Caso tenha alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo!

Leave a Response